Chuva arrasta carros, alaga ruas e desabriga famílias no Maranhão

Chuva arrasta carros, alaga ruas e desabriga famílias no Maranhão

As chuvas que caíram em grande parte do Maranhão causou estragos em várias cidades. Segundo o núcleo de meteorologia da Universidade Estadual do Maranhão, até as 9h de segunda (9/3), já caiu cerca de 3023 mm de chuva só no mês de março, em todo o estado.

Levando em consideração apenas São Luís, até as 12h de segunda (9/3) já choveu 235.6 mm, sendo que a média para o mês de março é de 422 mm. No cálculo, um milímetro de chuva corresponde a 1 litro de água por metro quadrado.

Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que o aumento das chuvas no estado tem elevado o nível de diversos rios, porém, até o momento, nenhum município decretou Situação de Emergência.

Quanto ao número de famílias desabrigadas, os bombeiros informam que, na cidade de Trizidela do Vale, foram registradas duas famílias desabrigadas e em Pedreiras, dez. Já em Imperatriz, as fortes chuvas dos dias 4 e 5 de março deixaram 15 famílias desalojadas e cinco desabrigadas. Em Dom Pedro, após chuva intensa, uma família ficou desabrigada e em Grajaú foram contabilizadas duas famílias.

Em Mirador, a 490 km de São Luís, moradores gravaram imagens do temporal que durou quase a manhã inteira. Um córrego transbordou e alcançou várias ruas, deixando muitas casas alagadas.

No fim de semana também choveu bastante em Açailândia. Um homem foi flagrado tentando retirar uma moto que está sendo levada por uma correnteza no meio da avenida.

Os rios Corda e Mearim, na cidade de Barra do Corda, também transbordaram. No balneário Guajajara, o principal ponto turístico da cidade, bares e restaurantes foram inundados.

Em Grajaú, o nível do rio começou a baixar. Os moradores tentam retirar a lama das casas e calcular os prejuízos. Já em Balsas, o rio Maravilha também começou a baixar, mas uma ponte que dá acesso a quatro povoados e a dezenas de chácaras e fazendas continua encoberta pela água.

Em Imperatriz, o temporal também causou transtornos. Em uma rua do centro da cidade, os carros foram arrastados pela força da água. O trânsito ficou lento e confuso e muita gente parou em postos de combustível para ajudar quem estava em situação de perigo.

Da redação: As informações são do G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.