Prefeitura de Caraúbas do PI se exime de responsabilidade após academia popular desabar

Prefeitura de Caraúbas do PI se exime de responsabilidade após academia popular desabar

A Prefeitura de Caraúbas do Piauí, por meio da Secretaria Municipal de Obras, enviou nota ao blog em que lamenta o desabamento da Academia Pública de Saúde do povoado Rosário, na zona rural do município.

Na segunda-feira (31/08), mostramos que a estrutura, que custou pouco mais de R$ 89 mil para ser construída, veio abaixo menos de dois meses após ser inaugurada.

Na nota, a gestão “se exime de toda e qualquer responsabilidade relacionada a este lamentável incidente” e afirma que “a obra ainda estava sob responsabilidade da Construtora JHR Aguiar Serviços de Construções de Edifícios Eireli”.

A nota diz ainda que um processo administrativo e jurídico será instaurado pela Procuradoria-Geral do Município, chefiada pelo procurador Dr. Antônio Lima, para apura os fatos e punir os responsáveis.

A prefeitura enviou ainda posicionamento da primeira-dama Silvana Silva, esposa do prefeito Caburé, onde ela lamenta que o fato esteja sendo usado pela oposição para “macular tão importante benefício”.

NOTA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAÚBAS-PI

A Prefeitura Municipal de Caraúbas do Piauí, por meio da Secretaria de Obras, vem a publico lamentar o desabamento do teto da Academia Publica de Saúde localizada no povoado Rosário, zona rural do município.

A gestão esclarece que a obra ainda estava sob responsabilidade da Construtora JHR Aguiar Serviços de Construções de Edifícios Eireli. Portanto, a gestão se exime de toda e qualquer responsabilidade relacionada a este lamentável incidente.

A Procuradoria Geral do Município informa que um processo administrativo e jurídico será instalado com o objetivo de apurar o que de fato aconteceu e punir os responsáveis.

O procurador Dr. Antônio Lima, destaca que no horário em que o teto desabou, não havia ninguém no local. “Por sorte ou por Deus, não houve feridos”, frisou o procurador.

A obra foi inaugurada no início do mês de julho e custou pouco mais de R$ 89 mil.

A primeira-dama, Silvana Silva, lamentou que o aposição tente se utilizar deste incidente para macular tão importante beneficio e disse que em breve o problema será resolvido. 

As informações são Reprodução/Portal Boca do Povo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.