Servidor denuncia vereador Cleson Galeno por estelionato

Servidor denuncia vereador Cleson Galeno por estelionato

A Câmara Municipal de Bom Princípio formou, no dia 10 de agosto, uma Comissão Parlamentar de Inquérito que vai apurar denúncia de estelionato contra o vereador Genycleson de Sousa Galeno, mais conhecido como Cleson Galeno, que poderá ter o mandato cassado, além de ter os direitos políticos suspensos.

Em entrevista ao GP1, na tarde de segunda-feira (24/08), o presidente da Câmara, Jacinto Gomes, explicou que a comissão tem o prazo de 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias, para concluir o relatório.

“A comissão se reuniu o dia 10 de agosto então, a comissão tem até o dia 10 de setembro para concluir a investigação, sendo que o trabalho é muito fácil porque a denúncia já foi munida de provas robustas, com cópias de cheques, assinaturas adulteradas, com tudo já, basicamente só falta pegar os depoimentos, mas ela pode ser prorrogada por mais 30 dias, até por 90 dias, segundo nosso regimento”, explicou o presidente da Câmara.

Após a conclusão da investigação, o relatório será entregue para que seja marcada a votação e posteriormente o julgamento em plenário. “O relatório pode pedir absolvição, somente uma medida disciplinar como pode pedir a cassação e a suspensão dos direitos políticos por até 8 anos, é o que rege a nossa Lei Orgânica, após isso a gente vai marcar o julgamento do relatório.

A denúncia

O vereador de Bom Princípio, Genycleson de Sousa Galeno, está sendo acusado do crime de estelionato pelo servidor público do município Fernando do Nascimento Moraes que alegou que o parlamentar utilizou seu cartão de crédito, além de fazer empréstimos em seu nome.

O denunciante foi até a 1ª Delegacia Regional de Parnaíba onde realizou um Boletim de Ocorrência relatando que no dia 4 de agosto foi até a agência do Banco do Brasil para atualizar sua conta pois estava afastado do serviço tendo retornado neste mês.

Ele então contou que foi informado que estava devendo vários empréstimos CDCs (Crédito Direto ao Consumidor), além de possuir talão de cheques que foram devolvidos ao banco.

Fernando afirmou que no mês de fevereiro de 2020 o vereador Genycleson de Sousa Galeno pediu seu cartão e senha alegando que precisava receber um dinheiro na sua conta alegando que já possuía um valor muito alto e que não poderia suportar o montante que receberia. Dessa forma, o denunciante lhe entregou o cartão e todas as senhas. O cartão foi devolvido a Fernando no mês de junho após a sua mãe pedir.

“De posse do cartão e senha da vítima foram realizados vários empréstimos nos terminais, sendo que alguns desses valores eram transferidos para a conta do suposto acusado e foi verificado também junto ao banco inúmeros talões de cheques que foram devolvidos por insuficiência de assinaturas e o denunciante alega não possuir e nem contratar talão de cheques”, diz trecho do boletim.

O servidor que trabalha como gari lamentou toda essa situação pois não reconhece essa dívida e disse que não recebeu nenhum valor dos empréstimos ou fez compras em cartão de créditos ou cheques durante o ano de 2020, sendo que todos foram realizados sem seu consentimento e de forma indevida.

A vítima denunciou o vereador por estelionato e falsificação de assinatura.

As informações são do GP1.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.